Terça-Feira, 18 de Junho de 2024

Notícias

Quarta-Feira, 05 de Junho de 2024 14:30

Sorriso registrou 337 casos de Chikungunya em 5 meses e Saúde alerta a população para necessidade de limpar terrenos

A Secretaria de Saúde divulgou nesta manhã, 05 de junho, o boletim 07/2024 com dados da dengue, Chikungunya e Zika vírus. E infelizmente os números continuam em ascensão. No novo boletim, constam 482 confirmações para dengue – 76 a mais do que no dia 21 de maio, data do boletim 06/2024; 337 para Chikungunya – 132 casos a mais que no boletim anterior; e um caso de Zika.

Hoje, 1.268 situações estão em investigação para dengue; 86 para Chikungunya e uma para Zika vírus. São situações em que ainda não há o diagnóstico fechado que incluem pacientes em tratamento ou que aguardam o tempo correto para a coleta de material para exames ou que já coletaram e aguardam o retorno do resultado do material encaminhado pelo Município ao Laboratório Central (Lacen).

“Desde o início de maio os números estão em ascensão, principalmente para Chikungunya, nunca havíamos registrados tantos casos de Chikungunya. Em 2023, durante todo o ano foram apenas dois casos”, destaca a coordenadora de Vigilância em Saúde, Taynná Vacaro.

Segundo a enfermeira, é mais do que necessário que a população atue em conjunto com a Secretaria de saúde na eliminação de criadouros do Aedes aegypti. “Desde o início do ano vínhamos alertando para a necessidade da colaboração de todos para evitarmos o aumento no número de casos, precisamos interromper o ciclo de proliferação do mosquito”, alerta Taynná. “Além das confirmações temos muitos outros casos em investigação e impedir esse ciclo cabe a todos nós, cidadãos”, acrescenta “pois não é responsabilidade do poder público limpar o quintal de ninguém.

Além de cuidar do quintal, é indicado que ao sentir sintomas relacionados às enfermidades, a população procure auxílio profissional. Hoje, Sorriso disponibiliza o teste rápido para dengue nos PSFs e na UPA. Além do teste para Chikungunya e Zika realizado no Laboratório Municipal via pedido das unidades de saúde. “É mais uma forma de garantirmos agilidade no diagnóstico e tratamento”, acrescenta.

 Além do aumento de casos e do índice larvário, outra preocupação é a quantidade de lixo encontrada nos quintais e relatada pela equipe de agentes de combate a endemias (ACEs). São situações em que o acúmulo de lixo também esconde animais peçonhentos como cobras, ratos, aranhas, escorpiões, dentre outros.

“Nossa equipe orienta, pede que o morador elimine esses focos de lixo, mas há casos extremos, inclusive reincidentes em que precisamos comunicar o NIF (Núcleo Integrado de Fiscalização) para acompanhamento e multa”, detalha. Hoje, 47 agentes de combate a endemias atuam diretamente à campo.

“Nossas equipes passam e repassam e continuamos encontrando lixo e focos em situações que se repetem, estamos fazendo um apelo para a população nos auxiliar e fazer a sua parte”, reforça a coordenadora do departamento de Vigilância em Saúde Ambiental, Claudete Damasceno.

E para quem identificar situações com criadouros ou com suspeita, a recomendação é procurar a equipe técnica. Denúncias também podem ser realizadas via Ouvidoria pelo 150 ou ainda pelo aplicativo da Vigilância Sanitária via Unidade Sentinela que atende pelo número (66) 99600-1462.

Reveja algumas dicas da equipe para pôr em prática em casa e no trabalho:

✅ Retire os pratinhos nos vasos de plantas e faça furos nos vasos para vazar a água;

✅ Coloque terra ou areia até a borda nos vasos;

✅ Mantenha a caixa d’água fechada;

✅ Retire as embalagens plásticas ou celofane usados em flores e arranjos naturais e de plástico;

✅ Não deixe recipientes como copos, garrafas, embalagens ou sacos plásticos pelo quintal;

✅ Descarte o lixo somente em lugares adequados – essa dica vale para quando você estiver na rua também;

✅ Verifique a situação das calhas de sua residência;

✅ Use repelentes; cuide-se.

E para dar aquela mãozinha na limpeza do quintal, a Prefeitura oferta o serviço de coleta de resíduos sólidos – confira aqui o calendário; em que são recolhidos móveis e eletrodomésticos velhos e inservíveis; assim como restos da limpeza de jardins que incluem folhas e restos vegetais que podem servir como criadouro de insetos e animais peçonhentos, como a grama quando é cortada.

{{countcoment}} COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.
{{car.nome}}
{{car.comentario}}
{{car.mais}}
{{car.menos}}