Quarta-Feira, 29 de Maio de 2024

Notícias

Quinta-Feira, 08 de Junho de 2023 21:36

Sorriso: Produtora torna sítio viável agregando valor ao que produz; Rita pegou vacas emprestadas e pensou em desistir

Uma propriedade em Sorriso, região médio-norte de Mato Grosso, está sendo reconhecida nacionalmente pela produção de leite e derivados. O sítio Vila Láctea possui 16 animais no rebanho entre vacas de lactação, novilhas e bezerras, e é administrado pela produtora rural Rita de Cássia Pinto Hachya, responsável por recuperar pastagens degradadas e por se preocupar em emitir baixa quantidade de carbono na produção.

 

<iframe width="770" height="433" src="https://www.youtube.com/embed/O1FD0LU-NtY" title="Produtora torna sítio viável agregando valor ao que produz | MT Sustentável ep.27 | Canal Rural" frameborder="0" allow="accelerometer; autoplay; clipboard-write; encrypted-media; gyroscope; picture-in-picture; web-share" allowfullscreen></iframe>

Propriedade que está sendo reconhecida nacionalmente pela produção de leite e derivados é o tema do episódio 27 do MT Sustentável.

A proprietária iniciou as atividades leiteiras em 2009, que logo percebeu que a venda de leite in natura não seria o suficiente para manter as despesas. Hoje são comercializados três tipos de queijo, o frescal e mussarela, vendidos no estado de Mato Grosso, e o queijo poranga, no qual possui o Selo Arte MT, podendo ser comercializado em todo o Brasil como produto artesanal.

Depois de conquistar o Selo Arte MT, a procura pelos produtos cresceu, e com a produção de queijos o valor do litro de leite aumentou em cinco vezes. Isso possibilitou Rita Hachya a fazer melhorias na propriedade, como instalar uma ordenhadeira canalizada, na qual o leite sai da vaca e vai direto para o resfriador. Além disso, ainda conseguiu dividir as pastagens em piquetes com irrigação, importante para manter o pasto verde o ano inteiro.

Foto: Leandro Balbino/Canal Rural Mato Grosso

Rita conta que se encantou com as vacas da raça Jersey e que esse foi um dos motivos de iniciar a pecuária leiteira.

“Fiquei encantada e apaixonada por elas. Eu falo que como eu não estava buscando trabalhar com leite, nessa área, foram elas que me escolheram”, comenta.

Além de ser a única propriedade certificada por ser livre das doenças brucelose e tuberculose animal em Mato Grosso, o sítio também faz parte do Clube Amigos da Terra, uma associação sem fins lucrativos que prioriza a sustentabilidade na região de Sorriso.

Produção de leite A2A2

Outro certificado que Rita visa conseguir até o final de 2023, é o de produção de leite A2A2, obtido a partir de animais selecionados, capazes de produzir apenas a beta-caseína A2, uma das proteínas do leite. Essa proteína não desencadeia reações inflamatórias no organismo, que provocam a má digestão ou fermentação.

Foto: Leandro Balbino/Canal Rural Mato Grosso

A certificação é considerada importante, pois constrói uma identidade, fideliza o cliente e também melhora o lucro. Rita fala da importância dessa conquista para agregar valor ao leite.

“Hoje a gente tem, dos 16 animais, dez que produzem A2A2. Irão produzir porque são novilhas ainda, e ano que vem já vou ter 100% dos animais A2A2. Para estar certificando a propriedade, buscando esse selo de A2A2, para agregar valor ao produto”. Pontua.

Fonte: www.canalrural.com.br

{{countcoment}} COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.
{{car.nome}}
{{car.comentario}}
{{car.mais}}
{{car.menos}}