Terça-Feira, 18 de Junho de 2024

Notícias

Sexta-Feira, 19 de Maio de 2023 19:19

Funcionário do Burguer King urina na roupa após ser proibido de ir ao banheiro

Em vídeo compartilhado nas redes sociais, José Vinícius Santos, que é funcionário de uma franquia do Burger King em Aracaju, contou que urinou na roupa após ser proibido de utilizar o banheiro sob ameaça de demissão por justa causa. O caso aconteceu em um dos quiosques da empresa que funciona no Shopping Jardins, na capital sergipana.

No vídeo, publicado no Instagram no fim da tarde de quinta-feira, ele explica a situação:

— Quero relatar o inevitável. Eu acabei de mijar, sim, mijar aqui no quiosque. Porque eu não posso sair daqui, porque se eu sair aqui do quiosque eu levo advertência. A segunda vez, eu levo suspensão. E a terceira eu levo uma justa causa — diz o funcionário da rede de fast-food em vídeo.

Em outro trecho do vídeo, José conta que no dia anterior levou uma advertência porque não quis fazer hora extra.

— Ontem mesmo eu já levei uma advertência por ter saído do quiosque, porque fui embora na minha hora. Cheguei 8h20 e fui embora 16h40, na minha hora e levei advertência — afirma o atendente.

Especialista em direito processual e material do trabalho, Marcel Zangiácomo, diz que o funcionário tem o direito de discutir judicialmente uma rescisão indireta, uma espécie de ” justa causa ao contrário”, em que o empregado sai do emprego com indenização do empregador.

— O empregado pode entrar com uma ação judicial com pedido de rescisão indireta em decorrência do fato, inclusive acumulado com danos morais. Particularmente, entendo que, se houve prova efetiva dessa proibição, há sim a possibilidade de uma condenação por danos morais. Além disso, o próprio Ministério do Trabalho pode ser acionado neste caso para investigar o que de fato ocorreu e se isso vem ocorrendo com outros empregados — explica Zangiácomo

O que diz o Burger King

Em nota, a empresa lamentou o ocorrido e disse que os envolvidos foram afastados até que o caso seja apurado.

“Lamentamos profundamente o ocorrido na última quinta-feira, 18/05, em Aracaju e reforçamos que não toleramos qualquer tipo de falta de respeito. Informamos que as pessoas envolvidas no caso foram afastadas enquanto apuramos todas as informações. Estamos prestando todo o apoio e acompanhando o colaborador. Temos na nossa cultura a prática do respeito com as pessoas em qualquer ambiente e não deixaremos de tomar todas as medidas cabíveis”, diz nota enviada ao GLOBO.

{{countcoment}} COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.
{{car.nome}}
{{car.comentario}}
{{car.mais}}
{{car.menos}}