Caráter é aquilo que você é quando ninguém está te olhando. (Epícuro)
Sorriso-mt | USP (Universidade de São Paulo)
Dentistas de Sorriso discutem exames preventivos de boca e biópsias em consultórios
18 de Maio, 2017
Esta matéria tem:

O dentista Arlindo Aburad, doutor em Patologia Bucal pela USP (Universidade de São Paulo), estará em Sorriso na próxima sexta-feira (19/5) para discutir a importância dos exames preventivos de boca e das biópsias nos consultórios odontológicos.

A palestra, promovida pelo Conselho Regional de Odontologia de Mato Grosso (CRO-MT), no programa "CRO Itinerante", será no Centro de Eventos Ari José Riedi, das 8h às 18h. Não há taxa de inscrição.

O dentista ou acadêmico podem fazer a inscrição com a doação de um quilo de alimento não perecível. Aburad vai debater com dentistas da região a sua experiência com pacientes do Laboratório de Patologia Bucal do Hospital de Câncer de Mato Grosso. Ele diz que é muito importante realizar um check-up periódico para garantir a saúde bucal. “Quando um paciente tiver qualquer alteração na boca, precisa procurar um cirurgião-dentista. É extremamente importante fazer o exame preventivo periodicamente. Se possível, de seis em seis meses”, afirma.

O patologista ressalta que existem casos em que os tumores de maxila e de mandíbula podem parecer simples lesões inflamatórias, mas não são. Por isso, é fundamental que o dentista esteja atento. “Os exames preventivos ou até mesmo a biópsia no paciente serve para distinguir lesões mais sérias, que precisam de tratamento mais invasivo, de outras que podem ser tratadas de forma mais simples.

Esses procedimentos evitam que tumores sejam diagnosticados tarde demais, o que sempre é pior para o paciente. Somente assim, é possível ter a certeza do diagnóstico correto para o tratamento adequado”, explica. Aburad deve discutir ainda uma técnica avançada, introduzida por ele na área de Odontologia no Brasil, que vem aplicando em pacientes. Ela possibilita o diagnóstico de tumor de boca no momento da cirurgia. É a chamada biópsia por congelação. “Geralmente, o paciente que opera o tumor de boca está ansioso para receber o resultado.

O material retirado da boca para a biópsia tradicional é enviado ao laboratório e pode demorar alguns dias”, observa o patologista. Com a biópsia por congelação, ocorre o contrário. “O paciente é informado imediatamente sobre o diagnóstico”, diz o patologista.

De acordo com ele, além do resultado rápido, outra vantagem desta técnica é que o cirurgião é informado se o tumor foi totalmente removido durante a cirurgia. Caso não tenha sido, ele pode ampliar a cirurgia na hora para este fim. Assim, o paciente não precisa passar por novo procedimento cirúrgico no futuro. No sábado (20/5), ainda dentro do “CRO Itinerante”, haverá uma reunião com o dentista Sandro Marco de Almeida, presidente da Comissão de Ética do CRO, na sede da OAB-MT, às9h.

Outras informações podem ser obtidas pelo telefone (66) 9 9985-8237 (Dra. Camila).

Fonte:ass
+ FOTOS DESTA NOTICIA
  COMENTARIOS
  Deixe seu comentario nesta noticia:
CAPTCHA code
PATROCINADORESCLICNOTICIAS