As ideias das pessoas são pedaços da sua felicidade. William Shakespeare
Politica |
Pedro Taques diz que greve do Detran é política, não negocia e que vai mandar cortar ponto de servidores
12 de Setembro, 2017
Esta matéria tem:

Na clara queda de braço que voltou a travar com o Sindicato do Servidores do Departamento Estadual de Trânsito de Mato Grosso (Sinetran), o governador José Pedro Taques (PSDB) denunciou que a greve possui cunho político por causa da eleição interna da entidade, avisou que não irá negociar com grevistas e advertiu deve determinar o corte do ponto de quem não trabalhar.
 
“Nosso governo não negocia com servidor em greve. A greve é política, porque há eleição marcada para renovação da diretoria do Sindicato [Sinetran], no próximo dia 26. Fui relator do [projeto de lei do] direito de gereve do servidor. E tem que ser legal. Não pode ser greve política”, afirmou Taques, em entrevista ao Programa Chamada Geral, da Rádio Mega (FM 95,9), de Cuiabá.
 
Leia Mais:
 – Servidores do Detran protestam em frente ao Paiaguás e Governo diz que salário não está defasado

- Servidores do Detran-MT iniciam greve em todo o Estado e organizam mobilização
 
- Governo Taques e Sindicato não fecham acordo e servidores do Detran entram em greve na segunda-feira

O chefe do Poder Executivo lamentou a manifestação de cerca de 60 servidores, no final da tarde esta segunda-feira (11), no saguão do Palácio Paiaguás, contida pela Polícia Militar de Mato Grosso, sob coordenação da Casa Militar – responsável institucional pela segurança do governo.
 
“Agora, greve tem que ser legal. Não pode ser greve ideológica. Greve política. Greve com fora Temer. Não negociamos com servidores em greve”, respondeu Taques, ao lembrar que não viu porque estava sancionando a lei dos servidores da Secretaria de Estado de Meio Ambiente (Sema).
 
Pedro Taques crê que existe intolerância da diretoria do Sinetran e que milhares de clientes do Detran de Mato Grosso estão sendo prejudicados. “A greve é claramente ilegal. O Supremo Tribunal Federal [STF] já decidiu que pode cortar ponto. E cortaremos o ponto. Nós negociamos com o servidor. É a quarta greve do Detran [no atual governo]. Já ficaram 72 dias em greve. Não permitiremos que o cidadão sofra prejuizo em razão da greve do Detran”, argumentou o chefe do Poder Executivo.
 
O governador não dá sinais de que irá ceder e revelou ter determinado à Procuradoria Geral do Estado (PGE) que tome as providências cabiveis, para declara a greve ilegal. “Temos 200 servidores, em periodo probatório, que nós chamamo há três ou quatro meses, o que não é permitido,  já estão em greve. Servidor público é muito importante, mas não aceitamos chantagem”, complementou Taques.
 
Por outro lado, os servidores do Departamento Estadual de Trânsito de Mato Grosso não demonstram intenção de voltar ao trabalho e encerrar a greve. A presidente do Sindicato dos Servidores do Detran de Mato Grosso (Sinetran), Daiane Renner, não aceita a limitação pela Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF).

Fonte:olhar direto
+ FOTOS DESTA NOTICIA
  COMENTARIOS
  Deixe seu comentario nesta noticia:
CAPTCHA code
PATROCINADORESCLICNOTICIAS