As ideias das pessoas são pedaços da sua felicidade. William Shakespeare
Policia |
Maior traficante da América Latina tem patrimônio acumulado em Mato Grosso
05 de Fevereiro, 2018
Esta matéria tem:

Reportagem da revista semanal, Fantástico da Rede Globo, mostrou neste domingo (4) a história do traficante "Cabeça Branca", preso em Sorriso (598 Km de Cuiabá) em 1º de julho de 2017. (Confira reportagem em vídeo abaixo)

Luiz Carlos da Rocha, é um dos maiores traficantes da América do Sul, e cerca de R$ 665 milhões apreendidos do tráfico pela Polícia Federal em 2017, a metade pertencia a Cabeça Branca. Ele usava identidade falsa, fez plásticas para mudar a fisionomia e mantinha uma vida normal em Mato Grosso, atuando como um agropecuarista.

 

O traficante tinha mansões com vista para o mar e carros luxuosos em vários estados, além de fazendas em Mato Grosso. As propriedades rurais ficavam em nomes de laranjas e eram usadas para lavar o dinheiro do crime.

Uma das fazendas de suas fazendas fica em Tapurah. Ela tem cerca de 2 mil hectares de soja. Outra está localizada em Marcelândia e também produz a oleaginosa, mesmo com o traficante preso, já que foi arrendada para outros produtores. Uma terceira propriedade, chamada de Por do Sol, foi abandonada logo após sua prisão, em julho de 2017.

PF prende um dos maiores traficantes da América do Sul; prisão aconteceu em Sorriso, MT

Fazendas ''laranjas''

Em depoimento à PF, Luiz Carlos da Rocha disse que a cocaína que vendia vinha da Bolívia e era carregada em prioridades aleatórias em Mato Grosso. Em seguida, a droga era levada para depósitos em Cotia e Embu das Artes, no interior de São Paulo.

“O pagamento pela cocaína fornecida era feito em espécie, em dólares; que o pagamento era feito diretamente para o interrogado pelo comprador da cocaína”, diz termo do depoimento.

Rocha se negou a informar quem eram os compradores da cocaína, alegando razões de segurança pessoal. “Esclarece que fornecia cocaína para compradores no Brasil e estes supostamente exportavam cocaína”, se limitou a informar.

Segundo Fábio Ricardo Mendes Figueiredo, advogado de Cabeça Branca, ele se sente aliviado e já cogitava se entregar. Além disso, assumiu o crime e pretende cumprir a pena, se possível em presídio federal.

 

Fonte:24 horas news
+ FOTOS DESTA NOTICIA
  COMENTARIOS
  Deixe seu comentario nesta noticia:
CAPTCHA code
PATROCINADORESCLICNOTICIAS