Enquanto a cor da pele for mais importante que o brilho dos olhos, haverá guerra. Bob Marley
Meio-ambiente | "Plantadores de Rios"
DF: Ufla e Serviço Florestal Brasileiro lançam aplicativo para recuperar nascente e APP
08 de Junho, 2017
Esta matéria tem:

Brasília/DF

O governo federal anunciou diversas medidas em favor da conservação do meio ambiente, entre elas o lançamento do programa "Plantadores de Rios", um aplicativo interativo que teve como idealizadores o Laboratório de Manejo Florestal do Departamento de Ciências Florestais da Universidade Federal de Lavras (DCF/Ufla) e o Serviço Florestal Brasileiro.

O programa, que tem como finalidade a recuperação de nascentes e Áreas de Preservação Permanente (APP) de cursos d&39;água, permitirá a interação de proprietários de imóveis rurais cadastrados no Sistema de Cadastro Ambiental Rural (Sicar) com pessoas e instituições que queiram ajudar na proteção e recuperação dessas áreas. A iniciativa vai ao encontro do combate à crise hídrica no país.

A Ufla esteve representada na solenidade, realizada na última segunda-feira (05) no Palácio do Planalto, pelo reitor, professor José Roberto Soares Scolforo, e o diretor de Tecnologia da Informação do Lemaf, Samuel Campos. "O Brasil está sendo vanguarda, e a Ufla, através do Lemaf, contribuiu com o Serviço Florestal Brasileiro e com o Ministério do Meio Ambiente de maneira decisiva para que o Sicar fosse viabilizado. Agora temos ainda um importante subproduto, o "Plantadores de Rios", e muitos outros que ainda serão gerados pela nossa Universidade. Essa é uma contribuição tanto para o presente quanto para o futuro do País, na linha do verdadeiro desenvolvimento sustentável. É a Ufla marcando mais uma vez posição no cenário nacional, contribuindo decisivamente para que esse conceito seja cada vez mais difundido", ressalta o reitor.

A partir dos dados coletados foi realizado um diagnóstico da condição de conservação de cada área. Já foram mapeadas 15 milhões de hectares de APP, sendo que 6 milhões precisam ser recuperados. Além disso, o sistema já cadastrou 1,5 milhão de nascentes. "A vegetação nativa quebra a velocidade da água, cria condições de maior infiltração no solo, possibilitando o abastecimento do lençol freático. O que buscamos com esse projeto é ampliar a capacidade do Brasil de produzir água, na medida em que um número muito significativo de nascentes está numa situação inadequada, sem vegetação no seu entorno", destaca o professor Scolforo.

Samuel explica ainda que a Ufla além de idealizadora é uma das instituições patrocinadoras do projeto, atuando efetivamente na execução do programa. "Já estamos articulando um arranjo com os nossos núcleos de estudos e empresas juniores para que possamos auxiliar diretamente na recuperação das nascentes", afirma o diretor do Lemaf.

O diretor do Serviço Florestal Brasileiro e responsável pela gestão e coordenação do Cadastro Ambiental Rural (CAR), Raimundo Deusdará Filho, acredita que o número de nascentes no país seja ainda maior, contudo, ele ressalta a relevância dos dados já obtidos, visto que, até então, não havia nenhum registro. "Agora, por meio desse aplicativo, desenvolvido em parceria com a Ufla, será possível o envolvimento dos cidadãos, das empresas e Universidades. Algo que permita que todos vejam as nascentes do Brasil e possam apadrinhá-las, auxiliando de diversas formas. Tudo isso é o resultado de muito esforço, sendo motivo de muito orgulho".

O reitor também enfatiza o engajamento social do programa, que permitirá a contribuição de toda sociedade, principalmente em regiões mais precárias, com a presença de produtores menores. "Há nascentes que são para o consumo diário dos proprietários, mas temos uma infinidade que contribui para formar riachos e até mesmo rios maiores, sendo importante para toda população. Essa adoção pode ser realizada de diversas formas, por meio de instruções técnicas, ensinando como fazer a revegetação, ou com a doação de mudas, adubos, cercas, dentre outras iniciativas. A obrigação disso é do proprietário rural, no entanto, não é só ele que se beneficia da água das nascentes, por isso é preciso essa mobilização social, visto que é um bem essencial a todos", afirma o reitor.

Mais sobre o Programa
O aplicativo "Plantadores de Rios" já está disponível na Play Store e App Store. Deusdará ressalta que 51% de proprietários e posseiros inscritos no Cadastro Ambiental Rural (CAR) manifestaram interesse em aderir ao Programa de Regularização Ambiental (PRA) e 18% destes desejam fazer reflorestamentos para recuperar suas áreas.

Além do "Plantadores de Rios", o programa ainda possui outras duas vertentes: o "Manejar", que identifica ativos florestais como fontes de sementes para ações de recuperação ambiental, e o "Muda que Muda", que levanta e monitora iniciativas de recomposição da cobertura vegetal nativa em execução pela sociedade civil, governo federal e governos estaduais e municipais.

Para saber mais, clique aqui.  


Fonte: Universidade Federal de Lavras (Ufla) 

Fonte:paginarural.com.br
Autor:Universidade Federal de Lavras (Ufla)
+ FOTOS DESTA NOTICIA
  COMENTARIOS
  Deixe seu comentario nesta noticia:
CAPTCHA code
PATROCINADORESCLICNOTICIAS